segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Orar primeiro

LEITURA BÍBLICA
Marcos 1.35-39

Jesus, tendo-se levantado de madrugada, saiu, foi para um lugar deserto, e ali orava (Mc 1.35 ARA).

Dentro de minutos um casal de missionários com seus dois filhos iam embarcar e despediam-se dos avós. Em pé numa roda, conversavam animadamente quando ouviram o filho de cinco anos perguntar: “Mas a gente não vai orar primeiro?”

Todos pararam de conversar e olharam para Carlito. O pai dele disse: “Mas, sim, Carlito, vamos orar.” Fecharam a roda, seguraram as mãos e inclinaram as cabeças enquanto o pai dirigiu uma oração a Deus por uma viagem em paz.

Se Carlito não falasse, facilmente poderiam esquecer seu costume de orar antes de viajar. Graças a Deus, chegaram em paz ao seu destino. Às vezes nos esquecemos de orar.


Recebido de Pão Diário 


A pressão das tarefas e obrigações toma nossa atenção e perdemos a direção de Deus. Depois de um tempo, podemos lembrar-nos e perguntar: Mas por que não orei primeiro? O jovem Timóteo recebeu um conselho de seu mentor, Paulo, assim: “Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas...” (1Tm 2.1 ARA). Assim, seguiria o exemplo de Jesus, o qual orava antes de fazer qualquer coisa. Antes de subir ao Calvário, entrou no Getsêmani e orou fervorosamente ao Pai para que fosse feita a Sua vontade.

Tomando a frase de Paulo, “antes de tudo”, oremos antes de começar nosso dia; antes de tomar uma decisão importante; antes de viajar; antes de nos mudar ou antes de contemplar qualquer novo relacionamento ou outra situação na vida.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

O piquenique das tartaruga

Nesta crônica de Millor Fernandes você tem duas opções: rir ou refletir. Mto interessante!!!!

Uma família de tartarugas decidiu sair para um piquenique. 
As tartarugas, sendo naturalmente lentas, levaram 7 anos preparando-se para o passeio. 
Passados 6 meses, após acharem o lugar ideal, 
ao desembalarem a cesta de piquenique descobriram que estavam sem sal. 
Então, designaram a tartaruga mais nova para voltar para casa e pegar o salpor ser a mais rápida. 
A pequena tartaruga lamentou, chorou e esperneou, mas concordou em ir com uma condição: 
que ninguém comeria até que ela retornasse. 
Três anos se passaram... Seis anos... E a pequenina não tinha retornado. 
Ao sétimo ano de sua ausência, a tartaruga mais velha já não suportando mais a fome, 
decidiu desembalar um sanduíche. 
Nesta hora, a pequena tartaruga saiu de trás de uma árvore e gritou: 
Viu! Eu sabia que vocês não iam me esperar. Agora que eu não vou mesmo buscar o sal.

Pense bem! Algumas vezes em nossa vidas as coisas acontecem da mesma forma. Desperdiçamos nosso tempo esperando que as pessoas vivam à altura de nossas expectativas. Ficamos tão preocupados com o que os outros estão fazendo que deixamos de fazer o que nos compete.

Como disse Mário Quintana: O pior dos problemas da gente é que ninguém tem nada com isso. 
Por isso, vivamos nossa vida e deixe de se preocupar com a opinião e o interesse dos outros por nós. 

Não venci todas as vezes que lutei, mas perdi todas as vezes que deixei de lutar!


Recebido por email.